Integração de aplicações

Saber gerir as tecnologias de informação é mais importante do que ter todas as tecnologias.

A diferança competitiva entre as empresas reside mais na forma como estas gerem as suas tecnologias de Informação do que nas diferenças tecnológicas propriamente ditas.

 

Voltar o foco para as estratégias das TIC. Integrar aplicações, para quê?

A arquitectura de um software é um dos principais pontos a ter em conta na hora de obter  ganhos efectivos em agilidade e eficiência, tanto na manutenção como na evolução dos sistemas corporativos. Os benefícios que se obtém de uma arquitectura de software bem pensada devem, por si só, ser motivação para se considerar a integração de aplicações como uma vantagem estratégica.

As típicas limitações dos sistemas de informação obsoletos têm levado as empresas a procurar a Integração de aplicações e Sistemas em interfaces web de forma a reduzir custos na sua manutenção e suporte. Desta forma, conseguem eliminar as restrições ao desenvolvimento de novas funcionalidades, assim como a necessidade de plataformas com alto custo de manutenção e a dificuldade de manter as equipas de desenvolvimento e suporte.

 

As vantagens para as empresas

1. Investimento com retorno imediato. Redução dos custos gerais de infra-estrutura de TI, incluindo o suporte aos processos e os ganhos efectivos dessa implantação.

2. Mais produtividade. A transição dos processos é facilitada. A  integração entre todas as aplicações elimina as restrições de TI, com o que se consegue a flexibilidade necessária para desenhar processos empresariais sem limites entre áreas e departamentos.

3. Optimização dos sistemas e evolução facilitada.

 

A Open IT como parceira

Na Open IT oferecemos diferentes soluções para a modernização de sistemas, desenvolvendo projectos de integração para o aumento da sua competitividade, a custos altamente satisfatórios. Estamos preocupados com os resultados, por isso comprometemo-nos com as questões funcionais e com as melhores práticas:

  • Temos em consideração a integração com os sistemas obsoletos para facilitar manutenções futuras;
  • Definimos um padrão na forma de trabalho das interfaces, promovendo a reutilização das mesmas;
  • Minimizamos o número de camadas entre as aplicações e plataformas reduzindo assim as hipóteses de ocorrerem erros ou falhas;
  • A redução de camadas promove também uma melhor performance durante o processo de troca de dados entre aplicações.